Legacy of Peace

 
InícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Histórias Solo ~ Nira

Ir em baixo 
AutorMensagem
Thay
level 3
level 3
avatar

Mensagens : 354
Data de inscrição : 10/11/2009
Idade : 28
Localização : Hollem

MensagemAssunto: Histórias Solo ~ Nira   Qui Dez 03, 2009 7:02 pm

História Solo ~ Quando Nira volta ao Passado


Narrador: “ Anos se passaram desde aquele terrivel acontecimento que separou Nira de seus pais, hoje ela é uma adolescente com 18 anos e está de mudança. ”

Nira: “ Oras vovó não fique triste, você vai poder ir me visitar e eu o mesmo, assim que chegarem as férias. ”

Avô: “ Vamos minha velha, não fique assim, você sabia que isso aconteceria mais cedo ou mais tarde. ”

* Ouve-se uma buzina do lado de fora da casa. *

Narrador: “ Nira olha pela janela, seu táxi havia chegado, era hora de ir. ”

Nira: “ Eu amo muito vocês dois...Vocês são tudo na minha vida.. ” * Nira abraça com força seus avós... e tenta segurar suas lágrimas, mas estas escorriam pelo seu rosto com facilidade * “ Por favor se cuidem!! ”

Narrador: “ Após a despedida Nira corre para dentro do carro. Este a leva até o porto onde sua viagem continuaria de navio a partir dali. ”

Nira: < enfim estou voltando ao meu passado... voltando ao lugar e as cenas dos meus pesadelos... Mãe... Pai... eu vou encontrá-los!! > * Nira de dentro do navio observa o horizonte, que agora parece menor que seus objetivos *

Narrador: “ Ela desembarca na cidade de Hollem, lá ninguém a espera, dali em diante ela estaria... sozinha... Ela vai caminhando com suas malas, observando a principio a cidade, como esta era diferente de Bringstom, sua população não era a maioria humano, tinham muito mais seres de outras raças, o que fazia ela se sentir um pouco mais “em casa”... dali ela resolveu pegar outro taxi para ir, enfim, ao seu destino. ”

Nira: < Cheguei finalmente...> * Nira pára um instante na frente da porta e fica observando a casa onde morou na sua infância, ela não tinha muitas recordações desta... ela estica a mão para abrir a porta...mas hesita por um momento, e percebe que está tremendo * < Vamos lá...vamos lá... você não veio até aqui para ficar do lado de fora... >

Narrador:
“ Nira abre a porta..”

Nira:
* Olha em volta * < Como o vovô disse, está tudo arrumado, ele não tirou nada do lugar, nem parece que aconteceu uma batalha aqui dentro a uns anos atrás > * Vai em direção a sua sala de estar... observa tudo a sua volta... começa a ir em direção aos quartos... passa pelo de seus pais * < que saudade dos dois > * chega ao seu quarto e deixa suas malas *

Nira: “Ai ai...” * respira... olha no relógio – 20:30 * “ Nossa já está tarde, é melhor eu tomar um banho e ir dormir...hoje o dia foi cansativo ”.

Narrador: No dia seguinte Nira já tinha aula, e conforme os dias foram se passando ela ficou cada vez mais ocupada com os trabalhos e provas que tinha, entretanto não perdeu o foco de achar qualquer tipo de pista sobre seus pais, ela vasculhou toda a casa, inclusive o armário em que sua mãe a escondera, mas...

Nira: “ Nada!! Eu já vasculhei toda a casa, não é possível que não tenha nada aqui... ” *respira exausta e se senta emburrada no chão da sala * < Já faz um ano que procuro por qualquer sinal sobre eles... e nada!! Droga!! > *puxa uma almofada do sofá, coloca-a no chão e deita sobre ela chorando*

* Toca-se a campainha *

Carteiro: “ Correio para a Srta. Nira !!! ”

Narrador: “ Nira se levanta e rapidamente enxuga as lágrimas de seu rosto, ela segue na direção da porta e a abre... ”

Nira: “ Sou eu... ”

Carteiro: “ Por favor senhorita assine aqui ” * aponta para o lugar marcado com um X *

Narrador: “ Ao assinar Nira recebe um pacote e junto a ele uma carta ”

Nira: “ Do vovô? O que será que é ? ” * abre a carta e começa a ler *

Querida netinha,

Como você está? Eu e sua avó estamos com saudade de você!
E a faculdade? Você tem gostado do curso?

Bem, você deve estar querendo saber o porquê estou lhe mandando esta carta, sendo que nós estamos sempre nos falando por telefone, é que eu não sei se conseguiria falar disso com você, por isso resolvi lhe escrever.

Imagino que você tenha passado esse um ano se preocupando com os estudos, mas também procurando pistas de seus pais aí, na antiga casa deles, né?

Antes de tudo eu e sua avó queremos lhe pedir desculpas, nós sabíamos que algum dia você iria querer retornar a essa casa, então decidimos que iríamos guardar conosco qualquer pista que tivesse a ver com o desaparecimento de seus pais, nós queriamos poupá-la de mais sofrimento. A principio nós achávamos que seriam muitas coisas, entretanto só encontramos o diário de sua mãe, nele ela comenta realmente sobre o que se passava na época. Entenda que fizemos isso pensando somente no seu bem.

Nesse um ano que se passou eu fiquei atormentado pensando em você procurando qualquer noticia de seus pais e não as encontrando. Depois de um tempo refletindo nisso eu já sei o que é certo a se fazer...

Estou lhe mandando o diário de sua mãe, lá provavelmente você encontrará um conforto pro seu coração.

Nós amamos muito você minha netinha!

Um grande beijo
Do vovô e da vovó



Nira: “ O diário... da mamãe?? ” * Observa aquele pacote em suas mãos *

Narrador: “ Nira embora ansiosa para ler todo o diário, abre o pacote com calma, para não danificá-lo... ”

Nira: * abre o diário em sua primeira página e começa a ler *

“~ Dia 07.05.78 ~
Feliz Aniversárioooo!!!

Sim, hoje faço 18 anos, nem acredito que agora sou maior de idade... mas o que tenho pra contar não é só isso... conheci um rapaz hoje, ele até que é bonito ( um verdadeiro tigre), haha é... ele é um licantropo...nossa meus pais não podem nem sonhar com isso...senão[…]

Nira: “ É o papai!! Ela o conheceu nesse dia...” < como será que ela fez pra conseguir que o vovô e a vovó aceitassem ele? … humm... Ahh é... depois eu leio mais, quero achar sobre o desaparecimento deles...> * folheia o diário mais pra frente *

“~ Dia 30.11.80 ~
Fui finalmente convocada!! Agora conseguirei estar a par da “Guerra dos Mundos”... essa guerra que está oprimida até então, nós da organização faremos de tudo para não a deixar explodir... os humanos e mutantes jamais conseguirão dominar-nos (é isso mesmo, eu já não me considero mais humana, sou meio-animal... afinal eu não concordo com essa discriminação!!)[...]

Nira: “Guerra... dos... Mundos??... organização?? humanos... mutantes... versus meio-animais?? Isso... isso...” * fica concentrada em seus pensamentos, lembrando do dia em que invadiram sua casa... até que resolve continuar a ler...folheando um pouco mais a frente *

“~ Dia 01.02.83 ~
Malditos!! Malditos mutantes!!! [...]

Nira: < Parte da folha está borrada...com...água?... Lágrimas!!... espere.. ainda dá pra entender a ultima parte >

[...]Hoje perdi dois grandes amigos... Kate...Maru... vocês estarão sempre na minha memória...[...]

Nira: < Mamãe...> * passa algumas datas a frente... *

“~ Dia 17.07.85 ~
Nesses ultimos 5 anos estamos progredindo bastante quanto nossas missões, ambos os grupos – meu e de meu marido – estão conseguindo avançar cada vez mais...vamos rumo a paz, mas se a guerra vir estaremos prontos...[...]

Nira: “ Nossa... missões...??” * continua a ler *

“~ Dia 20.04.92 ~
Ultimamente ando preocupada com a Nira, ela tem apenas 2 anos e estamos tendo sempre que nos mudar de cidade...claro isso é para o bem dela... mas já está na época dela começar a fazer amigos...
Aqueles humanos... aí deles se tocarem um dedo nojento em minha filha... eles se arrependeriam até a ultima gota de seu sangue ser derramada...[...]

Nira: “ Eles... ” * seus olhos se enchem de lágrimas...estas escorrem pelo seu rosto e caem no diário *

Narrador: “ Nira limpa rapidamente o diário para que suas lágrimas não o borrem... aquilo era muito valioso para ela... ”

Nira: “ Então eles não me escondiam... muito pelo contrário estavam me protegendo de uma guerra... ” * abraça fortemente o diário...pois sente que este é o mais próximo que chegou de seus pais desde sua separação * “ Eu não vou decepcioná-los!! ” * volta a ler *

“~ Dia 15.07.93 ~
Ele só pode estar louco!! Eu jamais deixaria minha filha...isso não é justo. Embora... é verdade o que ele falou, a partir do momento em que estamos fazendo parte de uma organização é muito arriscado mantê-la conosco...
Estou tão assustada... não posso nem imaginar o que fariam a minha filha caso a sequestrassem... eu acabo sempre me lembrando do Maru... ele conseguiu fugir da base dos humanos, mas não era mais o mesmo, ele estava completamente esquecido de quem era... Não... isso jamais acontecerá com a Nira!![...]

Nira: “ Grrrr!!! ”

Narrador: “ Suas listras começam a aparecer...seus olhos e cabelos já estavam brancos... Nira estava realmente brava... ”

Nira: “ Quem eles pensam que são? Seres superiores? Eles não tem o direito de magoar as outras pessoas!! São todos uns insensíveis!!! ”

Narrador: “ Nira coloca o diário em cima do sofá e começa a andar de um lado pro outro da casa... ela estava agora presa em seus pensamentos... ”

Nira: < Como vou fazer? Que organização será essa que eles participavam? Eu tenho que descobrir!! Eles ainda podem estar vivos!! Meus pais... > * se acalma depois de um tempo e se senta no chão...pegando novamente o diário nas mãos, voltando a ler *

“~ Dia 28.12.94 ~
Estou tendo um mau pressentimento ultimamente, não sei bem o que é...[...]


Narrador: “ Seus olhos enchem novamente... ela fica neste momento ainda mais concentrada em sua leitura... ”

“~Dia 22.01.95 ~
Está chegando o aniversário da Nira... mas estou me sentindo tão distante dela... que sensação... essa sensação... vou seguir minha intuição...

Filha... eu não sei exatamente o porque... mas tenho que lhe dizer algumas coisas... por mais que eu e seu pai possamos estar algum dia muito longe de você, eu quero que você seja corajosa... e que esteja sempre feliz... acredite que o que eu puder fazer pra protegê-la eu farei, isso inclui o seu pai também... nós estamos enfrentando uma batalha hoje para que no seu futuro a guerra não aconteça...
Mas... caso a gente falhe... eu quero que você pegue o meu colar que ganhei no dia em que entrei na organização... você deve encontrá-lo... acredite ele está mais próximo de você do que imagina...
Esse colar jamais será reconhecido pelos meus inimigos, uma vez que nunca o usei em batalhas, ele serve apenas para entrarmos em contato com os membros da organização... Descubra o que eu e seu pai não conseguimos...e ajude a manter a paz...

Nós a amamos muito!![...]


Narrador: “ Esta foi a última anotação feita no diário da mãe de Nira...”

Nira: “ Ah mãe... eu também amo muito vocês... ” * permanece por um momento organizando seus pensamentos...* < aonde vou encontrar esse colar...? porque ela não me deu nenhuma outra pista? Bom...seja como for... ela sabia o que estava fazendo... Ahh talvez o vovô saiba de algo... mais tarde falarei com ele... >

Narrador: “ Nira fecha o diário de sua mãe cuidadosamente... e se direciona a seu quarto... colocando-o em cima do seu criado mudo... para que sempre ficasse perto dela...”
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Histórias Solo ~ Nira
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» As belas histórias dos PAPAS! (Santos Padres)
» Fetiches, histórias escrotas
» HISTÓRIAS QUE JESUS CONTOU - CLÓVIS TAVARES
» Moral da História
» Menino de 4 anos morre, vai ao céu e volta para contar o que viu

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Histórias solo :: Nira-
Ir para: